Hora Certa

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O bar foi à inspiração, mas o vício é o café


“Café. Meu doce vício amargo”, diz Tiago Ferrari, o escritor bento-gonçalvense que está colhendo bons frutos com a publicação do livro “Poemas de Bar” (Editora Age), onde narra com bom humor e romantismo o cotidiano daqueles que encontram nos bares um local não só para beber, mas sim para conversar com os amigos, elaborar projetos e até mesmo buscar inspiração para escrever, como aconteceu com esse “viciado” em café.

“No bar todas as emoções estão presentes. Ali tudo acontece: o happy hour, a paquera, a dor de corno. Não há lugar mais rico e inspirador nesse sentido”, conta.
Tiago disse que sempre gostou de escrever, mas que nunca havia gostado muito do resultado. “Então, escolhi o que era ‘menos pior’ pra começar a praticar. E, assim, aos poucos, fui evoluindo”, afirmou bem humorado.
Ele conta que a idéia do livro nasceu simplesmente por ter percebido que tinha material suficiente para uma publicação. Depois se deu conta que os textos vagavam por diversas emoções. “Foi então que aproveitei esta característica para fazer a divisão dos capítulos com nomes de bebidas. Cerveja, por exemplo, tem poemas mais alegres. Já whisky é mais denso, mais melancólico”, explica.

Trechos da entrevista com Tiago

- Teus poemas expressam humor, mas também uma pitada de romantismo e nostalgia. Assim é a vida de um boêmio?
Eu acho que assim é a vida de todo mundo. Isso é humano. Não dá pra estar feliz sempre. E acho sábio aceitar que, às vezes, a nostalgia e a melancolia vão nos pegar. Eu não levaria a sério alguém que se julga feliz o tempo todo.

- Tu realmente conhece o cotidiano de um bar
Sim, é um lugar onde encontro amigos e relaxo um pouco. É o único momento em que não me levo a sério.

- Como está a aceitação da obra
Muito legal. Estou atingindo públicos das mais diversas faixas etárias, uma surpresa. E a repercussão está ótima. Existe até a possibilidade de virar uma peça de teatro.

- Já está preparando outro livro - e o tema qual será
Ainda não. Mas escrever me faz bem. Então vou deixar acontecer.

Qual tua bebida favorita?
Café. Meu doce vício amargo.

Teu primeiro poema
Foi para uma coleguinha de aula, na quinta série, sobre os olhos verde dela.

A inspiração veio em um bar
Sim. Veio de diversos lugares, mas basicamente dos bares e ambientes noturnos.

Serviço
Onde adquirir o livro
Em Bento Gonçalves nas Livrarias Paparazzo e Maneco, em Porto Alegre na Saraiva, Cultura e Cameron, inclusive pra compras Online (www.editoraage.com.br). Valor: R$19.

Nenhum comentário: