Hora Certa

quarta-feira, 4 de março de 2009

Mais um absurdo

O CASO
Em Bento Gonçalves, na último sábado, dia 28, um homem dirigindo uma Belina com crianças dentro parou em uma sinaleira e “chutou” literalmente um filhote de cachorro para a rua. A cena deprimente foi assistida por algumas pessoas assombradas com tamanha crueldade. Eles disseram que as crianças dentro do carro riam do pobre animalzinho que corria desesperado para se defender dos carros que passavam.
De tão chocadas as pessoas não conseguiram anotar a placa de tal Belina. Elas correram para socorrer o pobre filhote. Ele tinha entrado em um pátio e estava muito assustado. Depois de resgatado foi constatado os maus tratos: Carrapatos, pulgas e o pescoço com ferimentos, causados por certo por alguma “coleira”.
O cãozinho foi adotado imediatamente por uma moça que assistiu a cena triste promovida por seres desprovidos de sentimentos. A APABG deu assistência para que o filhote recebesse o tratamento necessário.

A CONCLUSÃO
Quanto mais eu vivo, mais eu tenho certeza: o ser humano está caindo num abismo de maldade. Que covardia nojenta essa contra um ser tão pequeno e frágil. Que coragem é essa? É feito de que? E o pior, tinha crianças junto que acharam graça do sofrimento do animal. Esses são os futuros monstros de nossa famigerada raça humana.
Tristes, degradantes e infelizes são os seres humanos que machucam seres que só sabem amar.


Essa moça adotou o pequeno cãozinho

Um comentário:

Beta disse...

Pobre cãozinho...e vamo combina que tem cada ser humano, sem coração, ignorante, que pensa com uma mente muito "curta". Eles não são capazes de pensar de forma diferente, humana de verdade, inverter os papéis nesta hora seria maravilhoso, eles iriam sentir na pele as mesmas consequências que o pobrezinho cão sentia, correndo risco de morte. Nobre atitude a da moça que o adotou. Eu particularmente acho esse tipo de pessoa sem coração. Por isso as vezes aquele ditado:"QUANTO MAIS CONHEÇO OS HOMENS, ADMIRO MEUS CÃES!" Faz muito jus em certas horas. Existem animais que só faltam a palavra, inteligentes, dóceis, muito mais companheiros que certos "humanitários".Um grande beijo Ieda querida.