Hora Certa

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Devastadora?

No editorial dessa semana do Jornal SerraNossa fui um pouco áspera e até desencantada com tudo, mas é difícil ser otimista diante de tantas barbaridades.

Devastadora?

Assim dá para definir a gripe suína, doença que surgiu de uma hora para outra espalhando o medo em todo o mundo. Ela não é uma novidade, casos já tinham sido registrados, mas jamais se pensaria que poderia haver uma epidemia. Mas aconteceu no México, onde já matou várias pessoas.
Num mundo onde a miséria e a violência imperam de maneira assustadora parecia que nada mais poderia provocar desespero, ledo engano, ai está uma prova da fragilidade a que estamos expostos. Dizer que é possível controlar uma doença que vem pelo ar chega ser até engraçado. A verdade é que não existe controle de nada, existe sim a vontade e medidas urgentes que podem abreviar uma catástrofe. É lógico, que a medicina está cada vez mais avançada e antes de contar com a sorte e ver até onde a doença terá o poder de atingir, será criado um remédio capaz de evitar a morte do contaminado. Enquanto isso a população em área de risco usa máscaras, se tranca em casa e olha para os lados sem nada entender. Se vê obrigada a parar um pouco de correr, de fechar os olhos para as barbaridades que vem acontecendo ao redor. Será que a gripe suína vai matar mais pessoas que o trânsito, as drogas, a fome e as guerras?
Talvez não, e talvez seja um absurdo falar em outras coisas, que não a gripe suína, afinal ela é a bola da vez, ela está em todos os jornais, revistas, TVs, rádios e internet. Talvez seja ignorância comparar o pânico que a população ficou diante da epidemia de dengue, de febre amarela, das inúmeras mortes provocadas por essas doenças, que agora estão sobre controle. Estão?
A situação é grave? Claro que sim, é evidente que a gripe suína é perigosa, mas o que se tem que ter em mente e na consciência que existem coisas graves acontecendo todos os dias, ao nosso lado, e parece que ninguém se dá conta. Mais uma vez o ser humano vai se acostumar com uma coisa muito ruim e em poucos dias pouco se falará em gripe suína.
E a vida continuará em seu ritmo assustadoramente perigoso, onde viver é uma grande loteria. Nunca se sabe o que pode acontecer dentro e fora de casa e até mesmo o ar pode estar contaminado. Alias, o ar que respiramos está se tornando cada vez mais pesado. Mas dizem que a solução está nas mãos de nos, os seres humanos. E agora?

Nenhum comentário: