Hora Certa

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Diversidade na Semana da Música de Bento Gonçalves


A Semana da Música de Bento Gonçalves, que iniciou na última quarta-feira, dia 30, é uma promoção da Fundação Casa das Artes, traz ao município uma grande atração para os bateristas. No dia 02 de outubro, às 19h acontece o C.Ibañez Day, da fabricante de baquetas C.Ibañez. Serão três workshops com os renomados bateristas Fábio Schneider, Luke Faro e Maurício Meinert. Também haverá o lançamento de baquetas personalizadas. As aulas acontecem nas dependências da fundação. As inscrições para o workshop têm o custo de R$ 40,00, com direito a participação em todas as atividades da Semana da Música. Informações 3454-5211.

Confira a programação da I Semana da Música de Bento Gonçalves:


Agenda de Oficinas, Cursos e Palestras:

01/10
Lucio Yanel: Violão, Técnica e Perspectiva de Atuação Profissional, das 19 às 21h
Luiz Eduardo Jungue (Zoca): Guitarra e Harmonia, das 19 às 21h
Lucio Yanel: Recital, às 21h

02/10
Sandra Rhodem: Educação Musical, das 9 às 12h e das 14 às 17h
Francis Padilha: Canto Lírico e Popular e Técnica Vocal, das 9 às 12h e das 14 às 17h
Luiz Eduardo Jungue (Zoca): Workshow de Guitarra e Harmonia, das 19 às 21h
Zé Montenegro, Fábio Schneider e Maurício Meinert: Bateria e Percussão C
Ibanez, das 19 às 21h
WorkShow C Ibanez, às 21h

03/10
Gisele Flach: Piano, das 9 às 12h
Caren Sabrina Lorenzi: Violino, das 9 às 12h
Monia Kothe: Violoncelo das 9 às 12h
Richard Armando de Oliveira: Metais (Sax (todos), Trompete, Trombone, Trompa, etc) e Madeiras (Clarinete, Flauta Transversa, Oboé, Fagote, etc), das 9h às 12h e das 13h30 às 16
Cursos de Orquestração, História da Música e Teoria Geral confirmados: horário a definir.

Talentos locais:

03/10
15h: Joel Rodrigues, Alemão Velliaria e Duo Viajando pelo Brasil.

04/10
15h: Shows com Vigilante Mexicano, Jack Brothers e Histeria.
Saiba mais
Para maiores informações, os meios de contato são pelos telefones 3454-5253 e 3454-5211 ou e-mail para fcasadasartes@terra.com.br ou fcacultural@terra.com.br.

Moda e sustentabilidade são tema de palestra no Iguatemi Caxias

Sustentabilidade está na moda. Moda sustentável também. Esse é o assunto que será abordado na palestra desta quinta-feira, 1º de outubro, no Café do Porto do Iguatemi Caxias do Sul, pela professora do Curso de Tecnologia em Design de Moda da UCS, Ana Mery Sehbe De Carli. A promoção fica por conta da Pole Modas, que reforça a campanha em prol do meio ambiente e aponta como a moda pode e deve atuar na questão da sustentabilidade.
Lançada no dia 1º de setembro, às 18h, a campanha da loja caxiense brinda os clientes com sacolas feitas com caixinhas de leite recicladas e embalagens para presente de materiais biodegradáveis. Além disso, tags que acompanham peças de roupa e embalagens, agora, vêm com frases de impacto e foram espalhados pela cidade outdoors defendendo a causa. Os participantes da palestra irão provar drinks de café orgânico durante o evento.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O cabelão da Tais Araújo dá trabalho?

Vai no PinKPurpurina e saiba tudo sobre as madeixas da Helena, de Viver a Vida

Lya Luft fala de epidemia moral

Lya Luft é uma das escritoras que mais admiro, seus artigos e livros são de uma sinceridade assustadora. Acompanhe abaixo, o texto em que ela fala de nossa passividade diante da corrupção.

A outra epidemia

Para mim, escrever é sempre questionar, não importa se estou escrevendo um romance, um poema, um artigo. Como ficcionista, meu espaço de trabalho é o drama humano: palco, cenário, bastidores e os mais variados personagens com os quais invento histórias de magia ou desespero. Como colunista, observo e comento a realidade. O quadro não anda muito animador, embora na crise mundial o Brasil pareça estar se saindo melhor que a maioria dos países. De tirar o chapéu, se isso se concretizar e perdurar. Do ponto de vista da moralidade, por outro lado, até em instituições públicas que julgávamos venerandas, a cada dia há um novo espanto. Não por obra de todos os que lá foram colocados (por nós), mas o que ficamos sabendo é difícil de acreditar. Teríamos de andar feito o velho filósofo grego Diógenes, que percorria as ruas em dia claro com uma lanterna na mão. Questionado, respondia procurar um homem honrado.
Vamos ter de sair aos bandos, aos magotes, catando essa figura, não uma, mas multidões delas, para consertar isso, que parece não ter arrumação? Se os homens nos quais confiamos, em seus cargos importantes, já não servem de modelo, devemos dizer aos nossos filhos e netos que não olhem para aquele lado nem os imitem? O Senado da República, só para citar um caso atual, teve sua maior importância em Roma, a antiga, e se originou nos milenares conselhos de anciãos, ou homens sábios e meritórios de tempos remotos. O Senado Romano também não era um congresso de santos: até Brutus ali tramava, ocultando nas vestes o punhal com que mataria Júlio Cesar, seu protetor. Afinal eram – e são – todos apenas humanos, e o problema sempre começa aí. A noção idealizada de um grupo de homens virtuosos liderando tornou-se mais realista, levando em conta as nossas mazelas. E daí? – dirão os mais céticos. Toda família tem seu esqueleto no armário, todo povo também: houve papas assassinos e mulherengos, reis dementes, rainhas devassas, e alguns normaizinhos, que só buscavam cumprir seus deveres e cuidar da sua gente sem prejudicar ninguém.
Eu queria preservar a imagem dos homens públicos como uma estirpe vagamente nobre, em cargos solenes, que lutariam pelo país ou por sua comunidade, por nós todos, buscando antes de tudo o bem dos que neles confiaram. Em caso de dúvida ou perplexidade, a gente olharia para eles e saberia como agir. Mas, como de um lado nos tornamos mais abertamente corruptos e de outro estamos mais condescendentes, instalou-se entre nós uma epidemia moral. Se fomos criados acreditando que o importante não é ter poder, mas ser uma pessoa honrada, estamos mal-arranjados. Pois, na vida pública, não malbaratar o dinheiro, não fazer jogos de poder ilícitos, não participar das tramas, ficar fora da dança dos rabos presos em que todos se protegem, virou quase uma excentricidade. Quem sabe o jeito é engolir sapos inaceitáveis: fim para o idealismo, treinem-se um olho clínico e cínico, enchendo bolsos e esvaziando pudores na permissividade geral que questiona o velho conceito de certo-errado. Talvez ele não passe de uma ilusão envelhecida, para sobreviver em vez de afundar. Não sei. A cada dia sei menos coisas. Antigas certezas se diluem: calejados pelas decepções, vacinados contra a indignação, não sabemos direito o que pensar. Então não pensamos.
A sorte é que apesar de tudo o país anda, a grande maioria de nós labuta na sua vidinha, trabalhando, pagando contas, construindo casas e ruas e pontes e amores e famílias legais. Lutando para ser pessoas decentes, as que carregam nas costas o mundo de verdade. É a nós – o povo, independentemente da cor, da chamada classe, da conta bancária ou do lugar onde mora – que os ocupantes de cargos públicos devem servir. Nós os elegemos e pagamos (coisa que nosso lado servil costuma esquecer), e não podemos ser contaminados por essa epidemia contra a qual não há vacina, mas para a qual é preciso urgentemente encontrar alguma cura. Enquanto ela não chega, mais uma vez eu digo: meus pêsames, senhores.

Millôr em exposição


No calendário de exposições de 2010, há pelo menos uma que ganha desde já o adjetivo de imperdível: Millôr Fernandes – O Que Vier Eu Traço, que se propõe a ser a maior mostra já dedicada ao genial desenhista, artista plástico, humorista, dramaturgo, escritor, tradutor (deve ter faltado alguma coisa…). Há 52 anos, não há uma exposição de Millôr na praça. A ideia de Leonel Kaz, curador da mostra, é realizar a retrospectiva no MAM/RJ e no MAM/SP.

Foto: Divulgação

Walker Evans, o fotógrafo que descobriu o sentimento na foto

A Veja nesta semana traz uma matéria sobre o fotógrafo Walker Evans, profissional que captava, através de suas lentes, o sentimento das pessoas. Num tempo em que a foto era quase um ato mecânico, Evans foi além e descobriu que era possível fazer com que a foto fosse mais um estrumento de comunicação.
Maravilhoso!



Fotografia
BELEZA AMERICANA
Walker Evans, o fotógrafo que retratou a devastação econômica e moral da Grande Depressão nos Estados Unidos, ganha uma retrospectiva em São Paulo
Marcelo Marthe

Em 1935, o fotógrafo Walker Evans (1903-1975) foi contratado pelo governo americano para documentar os resultados de um programa de redução da pobreza numa região rural arruinada pela Grande Depressão. Os burocratas que geriam as políticas do New Deal, plano do presidente Franklin Roosevelt que visava a tirar os Estados Unidos da ruína econômica, esperavam que Evans registrasse para a posteridade as obras oficiais. O que se fixou como síntese daquele momento histórico, contudo, foi um flagrante prosaico, sem nenhum tom triunfal: a imagem de um garotinho sentado numa cadeira no interior de uma residência humilde - e cujo olhar triste contrastava com as figuras alegres dos cartazes de publicidade ao fundo (como um sorridente Papai Noel). Essa imagem tão pungente quanto arrebatadora é a primeira de uma série que consagraria Evans como o grande cronista em foto da vida americana no século XX. A partir desta quinta-feira, o Museu de Arte de São Paulo (Masp) apresenta a mais ampla retrospectiva de sua obra já exibida no Brasil - que inclui, além dessa cena, 120 fotografias pertencentes a uma instituição espanhola, a Fundação Mapfre, de Madri.

Assim como outro nome crucial da fotografia, o francês Henri Cartier-Bresson (1908-2004), cujas fotos também estão sendo expostas em São Paulo, no Sesc Pinheiros, Evans foi pioneiro em dar certa dimensão artística a essa forma de expressão. Quando esse filho de um publicitário bem-sucedido abandonou o sonho de ser escritor e abraçou a fotografia, no fim dos anos 20, a temática dos profissionais do ramo não ia além dos retratos formais, cenas edificantes e paisagens. "Evans colocou a realidade em foco. E essa era uma ousadia e tanto", diz o curador Teixeira Coelho. No começo da carreira, ele fez fotos dos arranha-céus de Nova York que ressaltam o arrojo de suas linhas arquitetônicas - e remetem à arte construtivista de vanguardistas russos como Rodchenko. Em seguida, passou a investir na chamada "poesia do cotidiano": os registros dos cidadãos anônimos e seus costumes. Fotografou interiores de residências, fachadas do comércio e cenas urbanas. Munido de uma câmera oculta, por exemplo, flagrou os passageiros do metrô nova-iorquino absortos em suas preocupações.

O fundamental de sua obra, no entanto, foi produzido na esteira da Grande Depressão. Nos anos 30, como fotógrafo a serviço de uma agência governamental que dava apoio a agricultores, Evans registrou a miséria em estados do sul, como Mississippi e Louisiana. É dessa fase uma das imagens mais eloquentes da segregação racial americana: aquela que mostra o interior vazio e decrépito de uma barbearia para negros. Depois de deixar essa função, Evans foi destacado pela Fortune para produzir uma reportagem no Alabama. O trabalho nunca saiu na revista - mas, ao ser reunido em livro, trouxe à luz duas das fotografias mais célebres de Evans: os retratos de um granjeiro falido e sua mulher. Ao fazê-los posar em close diante de uma parede com ripas, Evans conferiu às imagens ares de pranchas de catalogação científica. Ao mesmo tempo em que são límpidas e belas, as fotos expõem cada sulco nos semblantes sofridos. São retratos crus da pobreza - mas seria um erro enxergar qualquer traço de panfletarismo em Evans. À maneira dos grandes pintores, o que lhe interessava era captar o drama humano.

sábado, 26 de setembro de 2009

Novidades no PinKPurpurina


Confira as muitas, mas muitas "fofocas" no blog da PinKPurpurina.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Programação da Primavera dos Museus continua em Bento Gonçalves


O Ministério da Cultura juntamente com o Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) promove anualmente a Primavera dos Museus. A intenção é mostrar que os Museus podem ser muito mais do que um lugar para “guardar coisas velhas” e também para atrair um novo público, além de debater temas da atualidade. A cada ano é escolhido um novo tema e em 2009, “Direitos Humanos” foi o selecionado.

"O Museu do Imigrante de Bento Gonçalves, se insere na Primavera dos Museus com uma excelente programação", ressalta o presidente da Fundação Casa das Artes, Juliano Volpato. As palestras, realizadas em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, acontecem nos dias 21 e 22 de setembro, sempre às 19h30, na Fundação Casa das Artes. No primeiro dia o tema é "Direitos Humanos”, e na terça-feira, 22: “A Importância dos Museus”. De 23 a 26 de setembro ocorre uma exposição de plantas ornamentais, no Hall Térreo da Casa das Artes.
A Primavera dos Museus é uma promoção do Museu do Imigrante e da Fundação Casa das Artes, com apoio da Biblioteca Pública Castro Alves e Prefeitura de Bento Gonçalves.

Música, dança e teatro na Primavera dos Museus
Na Praça Ismar Scussel (ao lado do Museu do Imigrante) acontecerá o evento de comemoração neste sábado, 26,das 15h às 20 horas. Haverá show com Bardos da Pangéia, Democratas Power Trio, Elixir e Samambaias e os Extintos; apresentação de Bboys do grupo Elemento B. e invernadas Artísticas de CTGs, além do teatro da Gugui; “As cores também falam”, presença do grupo de crianças da oficina de teatro da Fundação Casa das Artes, grafiteiros e caricaturistas. Também está programada uma campanha de conscientização ambiental. Em caso de chuva, o evento será transferido.

SAIBA MAIS SOBRE O MUSEU

O Museu do Imigrante foi fundado através do decreto Lei nº 566 de 18 de dezembro de 1974 e abriu suas portas para a comunidade em 21 de maio de 1975, desenvolvendo desde então as suas atividades em um antigo prédio construído em 1913. O prédio, que já foi uma Estação de Sericicultura, Escola Agrícola, Anexo de Hotel e residência, foi tombado como Patrimônio Histórico do município em 2005.

Programação Primavera dos Museus:

De 23 a 26 de setembro:
Exposição de Plantas Ornamentais, no Hall Térreo da Casa das Artes.
Horário de visitação: segunda a sexta: das 08h às 11h45 e das 13h30 às 17h30. Sábado: 08h às 11h30 e das 13h30 às 20h.

Dia 26 de setembro:
* Shows com Bardos da Pangéia, Democratas Power Trio, Elixir e Samambaias e os Extintos;
* Apresentação com Elemento B. e invernadas Artísticas de CTGs;
* Teatro da Gugui; “As cores também falam” Grupo de crianças da oficina de teatro da Fundação Casa das Artes
* Presença de Grafiteiros e Caricaturistas;
* Campanha de conscientização ambiental;
Local: Praça Ismar Scussel (ao lado do Museu do Imigrante, de fronte a Casa das Artes). Horário: das 15h às 20h

Museu do Imigrante
Endereço: Rua Herny Hugo Dreher, 127 – Planalto
Telefone/Fax: 54.3451.1773
E-mail: museudoimigrante@terra.com.br
www.bentogoncalves.rs.gov.br

Foto: Divulgação

Fragmentos Rodrigueanos e Mostra Jodorowsky

Nesta sexta-feira,25, no Auditório do Sesc de Bento Gonçalves acontecerá o espetáculo “Fragmentos Rodrigueanos”, a partir das 20h. Os ingressos estão à disposição no local nos seguintes valores: R$ 5(Comerciário, estudantes e idosos), R$ 7(Comerciante), R$ 10(Público em geral).

Domingo, 27, acontece a última sessão da “Mostra Jodorowsky” com o filme “A Montanha Sagrada”, a partir das 19h:30min, com entrada franca.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Um recanto para a poesia


Foto: Lauro Alves
O escritor Auri Sudati é um apaixonado pela poesia e pelo Letras Santiaguenses


Que grata surpresa ao ver nas páginas do Zero Hora uma matéria falando do Letras Santiaguenses, jornal que faço a diagramação há mais de 9 anos. E, principalmente pela certeza de ver o sorriso cheio de felicidade do professor Auri, um apaixonado pelo literário. Eu vim para Bento Gonçalves e ele para Santa Maria e mesmo assim mantivemos a firme o propósito de continuarmos a parceria e não deixar o Letras morrer jamais.

Na íntegra a matéria do Zero Hora da terça-feira, realizada pela repórter Tatiana Dutra.

Um recanto para a poesia

Em Santiago, o destino de boa parte dos versos de poetas era ir para a gaveta. Foi por isso que os professores e amigos Auri Antônio Sudati, Zé Lir Madalosso e Aldacir Fiorenza Couto decidiram fundar o jornal Letras Santiaguenses.
A publicação bimestral, de 12 páginas, seria veículo das crônicas e poesias dos nativos da cidade. Hoje, 13 anos depois da fundação, seus preciosos espaços são disputados por escritores de todo o Estado, de diversas partes do Brasil e até de outros países, como Cuba, Espanha e Portugal.
– Morei em Santiago por quase 30 anos. Estou em Santa Maria há sete. Mas insisti para que pessoas de fora participassem para dar mais vitalidade ao jornal – disse Sudati, atual presidente da Casa do Poeta de Santa Maria (Caposm).
Por tradição, sempre há dois ou três autores novos a cada edição. Outra prática tradicional do Letras Santiaguenses é ter na capa uma entrevista ou reportagem sobre autores conhecidos – sejam eles prata da casa ou grandes nomes, como Machado de Assis. O costume, conta Madalosso, começou com uma visita do santiaguense Caio Fernando Abreu à terra natal, em 1996.
– Naquela época, já estava muito doente e, dias depois, morreu. Então, fizemos uma homenagem na segunda edição do jornal. Desde então, há sempre um escrito homenageando um autor na capa – explica Madalosso.
Uma tradição mais recente é a presença de um busto e de um verso de um poeta célebre no cabeçalho do jornal.
Empenho para continuar com trabalho de divulgar a poesia
Diariamente, Sudati e Madalosso (Couto deixou o projeto anos atrás) recebem poemas e textos de toda parte. Cada edição conta com pelo menos 70 autores que, para serem publicados, devem pagar uma taxa de até R$ 15 – dinheiro que custeia as despesas de editoração gráfica e impressão.
Depois de escolhidas as peças, o material é enviado, por e-mail, para Bento Gonçalves, onde o jornal é diagramado. Por fim, a impressão é feita em Santo Ângelo. Uma tiragem de 3,1 mil exemplares custa R$ 1 mil.
– Não dá para ter lucro. Somos praticamente uma cooperativa de autores que têm o apoio de algumas empresas, que a gente anuncia no jornal. O dinheiro recebido serve para pagarmos as despesas, já que enviamos muitos jornais para bibliotecas, empresas, escolas. Custa R$ 1 cada exemplar enviado como impresso – explica Sudati.
Por tanto trabalho, é comum que Sudati e Madalosso tenham de responder perguntas do tipo “vale a pena?”. Numa época em que os blogs são usados para dar visibilidade a textos e ideias pessoais, a pergunta faz sentido. Mas eles têm resposta para isso.
– A coisa bonita do jornal é tirar o trabalho da gaveta. E é diferente ler no computador e ler no livro. Para a gente que é poeta é diferente. Não sei por quê. A internet é extraordinária, a gente usa, mas o jornal a gente pode levar a toda parte – opina Sudati.
– Tu não gostas de ver o teu trabalho impresso? Nós também. Temos sangue de tinta, acho – argumenta Madalosso.

Se você quiser receber o jornal ou mandar poesias, entre em contato com a equipe editorial pelo fone (55) 3025-3083 ou (55) 3251-2403. (Fonte: Zero Hora)

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Minha homenagem a Primavera

Todas as fotos tirei em Bento Gonçalves, no Centro.












25ª Feira do Livro de Caxias do Sul foi lançada nesta terça

Na manhã desta terça-feira foi lançada a 25ª Feira do Livro pela prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria da Cultura - Programa Permanente de Estímulo à Leitura – PPEL/Livro Meu.
Neste ano, o tema Páginas de uma bela história comemora a 25ª edição do evento e homenageia todos os patronos que também fizeram parte dessa caminhada — explica a coordenadora do PPEL e da 25ª Feira do Livro, Luiza Motta.
Participam dessa edição, entre os setores geral e infantil, 42 bancas, com a presença de livrarias e editoras de Caxias, Porto Alegre, Canoas, Passo da Areia, Uruguai e Peru.
O 16º Encontro Estadual de Leitura (Proler) ocorrerá dentro da programação da 25ª Feira do Livro, nos dias 08, 09 e 10 de outubro. Serão 10 oficinas ministradas por escritores de diversas partes do país. As inscrições podem ser feitas até o dia 25 pelo site www.caxias.rs.gov.br/ppel, ou na Secretaria da Cultura (Dr. Augusto Pestana, 50). (Fonte: Pioneiro)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dia do radialista: uma saudade

Minha imagem de hoje é pelo Dia do Radialista. Esse vídeo editado pelo Jacintho Júnior mostra uma turma de profissionais do rádio com um sentimento em comum: Amor pela profissão, amor e respeito pelo rádio.

Esses caras são joias raras para qualquer empresa, afinal são capazes de chorar por um ideal. Parabéns!

O anjo torto do sul

Uma ótima notícia enviada pelo Gabriel Lain, de Caxias do Sul.

O gaúcho Caio Fernando Abreu é o homenageado da sexta edição do projeto Benditos Malditos, que a "Do Arco da Velha Livrara e Café" apresenta nesta terça-feira, 22, às 20h, com entrada franca. No encontro, conduzido pelo poeta Marco de Menezes e pelo jornalista Nivaldo Pereira, haverá a exibição do curta-metragem "Pela Passagem de uma Grande Dor", do cineasta caxiense Bruno Polidoro, a partir do conto homônimo de Caio. O ator Maquiam Silveira também fará leituras teatrais de textos do autor.

Morto em 1996, aos 47 anos, vitimado pela Aids, Caio Fernando Abreu, ou Caio F., como ele gostava de assinar, tornou-se um dos mais destacados autores do Brasil contemporâneo. Seus contos, crônicas, romances, peças teatrais e cartas constituem um rico acervo literário dos valores da geração que

viveu a ditadura militar e os anos de sonho regados a drogas, sexo e rock and roll.

Foto: Divulgação

domingo, 20 de setembro de 2009

O espetáculo de um Ipê Amarelo em pleno centro da cidade

Acompanhei o florescer desse Ipê Amarelo. Um espetáculo fascinante e belo que muitas e muitas vezes passa despercebido aos nossos olhos. Afinal estamos sempre muito preocupados em trabalhar, ganhar dinheiro, comer e dormir.
Uma pena, assim como não observamos o espetáculo do Ipê Amarelo, não notamos o crescimento de nossos filhos, o envelhecimento de nossos pais, nosso rosto no espelho...

Desculpem o desafabo, mas a realidade é assustadora. E até quando o Ipê Amarelo vai continuar insistindo em nos chamar atenção...


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

“Fragmentos Rodrigueanos” em Bento

Foto: Divulgação

No dia 25 de Setembro, no Auditório do SESC de Bento Gonçalves será apresentado o espetáculo “Fragmentos Rodrigueanos”, pela Cia. de Atores Independentes, de Porto Alegre.
Da obra “A Vida Como Ela É...”, é fruto de um intrincado quebra-cabeça proposto por Nelson Rodrigues. E cada fragmento é uma peça instigante desse quebra-cabeça das relações humanas e as emoções fundamentais que elas implicam – fragmentos de amor, ódio, desejo, traição. Fragmentos da verdade e da mentira nossa de cada dia. Das máscaras que escondem o óbvio, do tênue véu que cobre o invisível gritando aos olhos que não querem - ou temem – ver. A miséria e a grandeza de ser e sentir. Caminhos do labirinto do drama humano, eternizado nas ruas da cidade ou trancado entre as paredes da intimidade: é este universo, rico, profundo, risível e trágico a um só tempo, que o espetáculo descortina: o universo rodrigueano.

SERVIÇO
Horários: 20horas
Informações: 3452-6103
Ingressos: R$ 5,00 (Comerciário, estudantes e idosos).
R$ 7,00 (Comerciante)
R$ 10,00 (Público em geral)
(Os ingressos encontram-se a disposição no SESC Bento Gonçalves)

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Imagem de Hoje

Tem Joaninha na cebola!

Heróis Farrapos no teatro para crianças do "O Bairro Faz"

Domingo tem Oficina de Teatro para Crianças do Programa "O Bairro Faz"
A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria da Cultura - Departamento de Arte e Cultura Popular, realiza neste domingo,dia 20,às 15h, na Casa das Oficinas da Estação Férrea, uma apresentação da Oficina de Teatro para crianças do Programa "O Bairro Faz". Em trinta minutos, os pequenos da oficina expressam, por meio do texto e da cena, passagens da Guerra dos Farrapos, com a vida dos heróis Bento Gonçalves, Giuseppe Garibaldi, Anita Garibaldi, e o papel das mulheres e seus costumes durante os 10 anos de guerra.

SERVIÇO
Data: 20 de setembro de 2009
Local: Casa das Oficinas - Estação Férrea
Horário: 15h
Entrada Franca

O Programa "O Bairro Faz" proporciona oficinas, apresentações e outros eventos que contribuem para o desenvolvimento artístico da comunidade.

Caxias do Sul: Biblioteca em Restaurante Comunitário


Foto: Luiz Chaves

A partir desta quinta-feira, 17 de setembro, os usuários do Restaurante Comunitário II (rua Vinte de Setembro, nº 2420, em Caxias, contam com uma Biblioteca. O espaço, integrado ao restaurante, oferece gêneros diversificados, doados pela Biblioteca Pública Municipal Dr. Demetrio Niederauer, por meio do Programa Literatura Sem Fronteiras.
O prefeito José Ivo Sartori participou da solenidade de inauguração nesta terça-feira, às 11h30min. "É uma alegria poder colocar uma biblioteca à disposição das pessoas neste restaurante", disse, lembrando a realização da 25ª Feira do Livro de Caxias do Sul, de 2 a 18 de outubro de 2009.
A titular da Diretoria de Segurança Alimentar e Inclusão Social (SAIS) , Janete Tavares, agradeceu as parcerias estabelecidas para a organização da biblioteca e apresentou o projeto aos usuários do restaurante. Além disso, convidou o público para as demais atividades em andamento, como a Feira Comunitária e o Concurso de Poesias dirigido a usuários dos Restaurantes I e II.
Homenageada pela SAIS em função do apoio dado à organização da Biblioteca Comunitária, a diretora da Biblioteca Municipal, Maria Cristina Pisoni, comemorou o investimento que o município faz no incentivo à leitura.

Encontro de Coros na Casa das Artes

Neste sábado, dia 19,a partir das 19h, acontecerá o 2º Encontro de Coros da Fundação Casa das Artes. O evento está ficando mais renomado a cada ano, contando sempre com corais de ótima qualidade. Para essa edição estão confirmados o Coral da Fundação Casa das Artes, Coral ACIRS de Porto Alegre, Grupo de Cantoria Italiana Stella D’Italia de Garibaldi e o Coral Santa Cecília de Garibaldi. O encontro acontece nas dependências da Fundação (Rua Herny Hugo Dreher, 127). A entrada é gratuita. Informações: 3454-5211.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Linhaça: tudo de bom para a saúde


Atendendo a pedidos estou postando informações sobre a linhaça, um produto que está fazendo sucesso entre pessoas de todas as idades. Encontrei várias publicações, mas gostei dessa abaixo que está no site Beleza e Saúde.

A linhaça vem se destacando, graças aos benefícios que ela proporciona à saúde. Composta de 41% de gordura, 28% de fibras, 21% de proteína, 4% de resíduos e 6% de outros carboidratos (entre eles: açúcares, ácidos fenólicos, lignana e hemicelulose). No entanto, essa gordura tem uma quantidade enorme de ácidos graxos do tipo ômega 3 (usados no combate a obstruções em artérias, responsáveis por doenças do coração).
De acordo com os especialistas o grão auxilia o sistema digestivo e o funcionamento do intestino, e conseqüentemente deixa a pele mais bonita. Ela é considerada um alimento, pois tem propriedades nutricionais básicas e preventivas — graças aos componentes antioxidantes e anticancerígenos. Além disso, é um poderoso desintoxicante.
Na casca da linhaça encontra-se uma mistura de minerais, proteínas e vitaminas. A vitamina E ajuda no funcionamento celular, por isso afasta o envelhecimento precoce e as doenças degenerativas.

LINHAÇA DOURADA
A linhaça dourada é rica em ômega 3,ômega 6 e ômega 9, enquanto a linhaça marrom possui apenas ômega 3. Outra principal diferença é que são cultivadas de forma orgânica certificada, ou seja, não possui agrotóxico, por isso a linhaça dourada é mais cara.

Benefícios da Linhaça•diminui os sintomas da menopausa, como: suores, dores de cabeça e insônia;
•reduz o colesterol
•auxilia na redução do peso
•combate as espinhas
•proporciona equilíbrio nos hormônios
•modulação do sistema imunológico
•ajuda controlar o diabetes
•regula o intestino

Modo de Uso da Linhaça
A semente de linhaça moída tem os mesmos benefícios nutricionais que a semente inteira, além de ser mais fácil para ingerir. Para preparar a linhaça moída, bata-a em um liquidificador por alguns minutos. Não há necessidade que ela vire pó.
A linhaça moída pode ser guardada na geladeira em um vidro limpo e seco bem fechado e deve ser consumida em mais ou menos uma semana.
É aconselhável tomar uma colher de sopa por dia, podendo ser a qualquer hora do dia. Se a intenção é ter um bom funcionamento do intestino, tome em jejum; pode ser com água ou com qualquer líquido de sua preferência.

“Kiss my Jazz”


No dia 19, às 20 horas, no Auditório do SESC de Bento Gonçalves será apresentando o musical "Kiss my Jazz", de São Leopoldo.
O projeto nasceu de um trabalho realizado por Marcelo Galarça e Helimara Medeiros em parceria com outros músicos, tocando standards e clássicos de jazz e músicas pop em versões diferenciadas. No final de 2008, Lucky Alves integra-se ao projeto e em maio de 2009 Vinicius Selbach assume o contrabaixo.
A química entre os quatro é o segredo do projeto. São músicos com formações diferentes passeando pelos Standards do Jazz (Smmertime, Take Five, Cantaloupe Island), pela música brasileira (O barquinho, Samba de Verão) e pelos Grandes cantores americanos ( Frank Sinatra, Etta James). A idéia é criar um clima uma experiência musical inusitada.

Serviço
Mais informações: (54)3452-6103 - (54)9153-8680
Ingressos: R$ 5,00 (Comerciário, estudantes e idosos).
R$ 7,00 (Comerciante)R$ 10,00 (Público em geral)
Estão a disposição no SESC Bento Gonçalves)

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Imagem de hoje

Solzinho com a Pink e a Bety Boop

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

"Netto perde sua alma" está na Mostra de Cinema


Foto: Divulgação
A “Mostra de Cinema Farrapo” terá início nesta terça -feira, dia 15 e se estende até o dia 18 de setembro, a partir das 20 horas, no auditório do SESC – Bento Gonçalves. A Mostra é uma parceria entre a Biblioteca Pública e o SESC e está inserido na programação oficial da “1ª Feira do livro Farroupilha”, que por sua vez integra a “Semana Farroupilha de Bento Gonçalves”.

OS FILMES

Anahy de Las Missiones

Sinopse:
É um raro filme brasileiro a abordar de forma poética, dramática e lúdica episódios lendários da história do período colonial, aqui ambientados na Revolução Farroupilha (1835-1845). È a recriação de lendas dos gaúchos do Brasil, Argentina e Uruguai, como aquela de Anahy de Las Misiones – que errava pelos países do prata vendendo despojos saqueados dos soldados mortos na batalhas – ou a da salamanca do jarau ( fixada por Simões Lopes Neto em lendas do sul). Eleito melhor filme pelo júri e público no festival de Brasília de 1997.

Ficha técnica:
Direção: Sérgio Silva
Roteiro: Sérgio Silva E Gustavo Fernandez (colaboração de Tabajara Ruas)
Trilha musical: Celso Loureiro Chaves
Elenco: Araci Esteves, Marcos Palmeira, Dira Paes, Paulo José, Giovanna Gold, Fernando Alves Pinto, Matheus Narchtergaele, Claudio Gabriel, Ivo Cutzarida, Leverdógil De Freitas, Roberto Birindelli, Marcos Barretto, Oscar Simch.


16 - Quarta-feira – 20 horas


Um Lenço Farrapo

Documentário inspirado na poesia "O Retorno do Bravo", de Ubirajara Rafo Constante declamada pelo tradicionalista Omair Ribeiro Trindade. O curta conta a história de um velho guerreiro, Velho Maneco (Omair Trindade) reconhecido pela sua coragem, que manda o filho para lutar na Guerra. O orgulho do povo gaúcho, a hombridade, a honra falam mais alto que as relações de sangue. O filho Ruben (Marcelo Donini) voltará da sangrenta batalha? E o fiel amigo de Velho Maneco, Don Vicente (Davi de Souza) honrará o nome do velho companheiro de lutas? São mais de quarenta figurantes, cavalos, armas, roupas, acessórios e cenários de época com locações em fazendas do interior do município. A equipe - toda formada por profissionais caxienses - é composta por aproximadamente vinte pessoas.
“Um Lenço Farrapo" tem na direção o jornalista Leonardo Vivan.


17 – Quinta-feira – 20 horas

“O leão do Caverá”

O documentário "O Leão do Caverá" foi realizado pelo Instituto Cavaleiros Farroupilhas, com sede na cidade de Eldorado do Sul (RS), promovido pelo Sistema Tarca de Comunicações e assinado pelo experiente diretor Arno Maciel (ex-Rede Globo), trilha sonora selecionada pelo cantor e compositor Dorotéo Fagundes e com a produção da Mbc Vídeo. O Documentário conta a história dos revolucionários de 1923 no cenário natural do conflito.Honório e seus comandados lutavam contra um estado afundado na corrupção eleitoral de Borges de Medeiros há 30 anos no poder, assim os Maragatos cruzaram as Missões até São Gabriel, Cacequi, Bagé, Aceguá, Dom Pedrito e por toda a região de Rosário do Sul, Santana do Livramento, Quaraí, Alegrete e Uruguaiana, quando bravura e sangue se misturaram com ideal, nos enfrentamentos de Chimangos e Maragatos. A história do nosso Leão do Caverá é rica, foi contada na película por várias pessoas em especial pelos historiadores Alcy Cheuiche , Nico Fagundes e Jorge Telles, bem como de netos e bisnetos de Honório Lemes.

18 – Sexta-feira – 20 horas

Netto perde sua alma

Antônio de Souza Netto é um general brasileiro que, ferido em plena guerra do Paraguai, está se recuperando no hospital militar de Corrientes, na Argentina. Lá ele percebe que coisas estranhas estão ocorrendo ao seu redor. Ouve o Capitão de Los Santos acusar o cirurgião de ter amputado suas pernas sem necessidade e reencontra um antigo camarada, o Sargento Caldeira, ex-escravo com quem lutou na guerra dos farrapos, ocorrida algumas décadas antes. Juntamente com Caldeira, Netto rememora suas participações na guerra e ainda o encontro com Milonga, jovem escravo que se alistara no corpo de lanceiros negros, além do período em que viveu exilado no Uruguai.

Ficha técnica:
Direção: Beto Souza e Tabajara Ruas
Roteiro: Tabajara Ruas, Beto Souza, Ligia Walper, Fernando Marés de Souza, Rogério Brasil Ferrari.
Trilha sonora original: Celau Moreira
Elenco: Werner Schunemann, Laura Schneider, Sirmar Antunes, Márcia do Canto, Arines Ibias, Lisa Becker, João França, Fábio Netto, Oscar Simch, Nélson Diniz, Letícia Liesenfeld, Araci Esteves, Miguel Ramos, Anderson Simões.

Moda: Jorge Bischoff no Iguatemi


Foto:Divulgação Enter Comunicações

Jorge Bischoff lança sua coleção Primavera-Verão 2010 nesta terça-feira, 15 de setembro, no Iguatemi Caxias do Sul. Os clientes serão recepcionados a partir das 16h, na loja do Shopping, e a programação inclui sorteio de produtos da marca entre os convidados. Sob o tema Absoluta, as novidades da temporada trazem arte e glamour de forma imponente e com diferentes direções, porém, todas em busca de um mesmo caminho: a valorização da elegância da mulher.

Semana Farroupilha em pleno andamento


Desde o último sábado,12,no Parque de Rodeios,que Bento Gonçalves está vivendo a Semana Farroupilha 2009. Além dos shows programados para este ano, existem os eventos paralelos com um destaque todo especial, para a 1ª Feira do Livro Farroupilha, Mostra de Cinema Farrapo, Copa Municipal de Laço e o Desfile Temático.

A temática escolhida para a Semana Farroupilha 2009 é “Os Farroupilhas e suas Façanhas”, apresentando os principais momentos do Decênio Heróico e lembrando os nove principais atos da Revolução. Estes momentos históricos serão representados no dia 20 de setembro por ocasião do Desfile temático, onde cada entidade Tradicionalista ligada a ABCTG e a 11ª RT representará um ato histórico.

A Semana Farroupilha é promovida pela Prefeitura de Bento Gonçalves, ABCTG - Associação Bentogonçalvense da Cultura Tradicionalista Gaúcha e Brigada Militar (3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas – 3ª BPAT), com apoio da 11ª Região Tradicionalista do MTG. Na página oficial da Prefeitura na internet (www.bentogoncalves.rs.gov.br) um banner está disponível com toda a programação e informações da semana Farroupilha 2009.

Ingressos e passaportes:

Podem ser adquiridos ao preço de R$ 25 com todos os patrões de CTGs de Bento Gonçalves e na Antonov Vídeo Locadora. O passaporte dá direito a entrada no Parque de Rodeios e em todos os shows durante a Semana Farroupilha. Ingressos individuais estarão à venda ao preço de R$ 15,00 para cada show, nos dias do evento.

Eventos Paralelos:
- 1ª Feira do Livro Farroupilha
- Mostra de Cinema Farrapo
- Torneio de Bocha
- Futebol de Bombacha
- Desfile Temático na Avenida Planalto (20 de setembro)
- Exposição de quadros: “Os farroupilhas e suas façanhas”
- Uma gastronomia farta, com cardápio bem campeiro.
- Mateada
- Acampamento no Parque de rodeios.

domingo, 13 de setembro de 2009

Imagem de hoje

Sol, depois de sete dias de chuva. Maravilha, espero que dure.

Imagem de ontem à noite

Betty Boop assitindo "A Era do Gelo 3". Clic do Júlio. Ela tava encantada com a família Mamute.

sábado, 12 de setembro de 2009

Como estou vendo a chuva de minha janela

Como faz uma semana que não para de chover e eu estava louca para fazer algumas fotos, resolvi fotografar de dentro de casa mesmo. O resultado está aí logo abaixo. Espero que gostem, é para vocês! Sugiro que olhem ouvindo never gonna be alone clicando no post abaixo das fotos.

P.S: Jacintho, Lain, Júlio e todos aqueles que amam fotos mostrem com imagens como estão vendo a chuva de suas janelas.












Never Gonna Be Alone



Pra fechar uma semana chuvosa, nada como uma música de qualidade. Sugiro que você ouça outras e até mesmo faça o download, se quiser, clicando aqui. Ah, a tradução também é fantástica.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Final de "Caminho das Índias"


Foto: Divulgação Globo

Yvone vai fugir, Tonia casa com Tarso: esses são alguns dos finais previsíveis de "Caminho das Índias", que termina nesta sexta -feira e vai fazer o Brasil parar. Confesso que diante de tantas coisas ruins, até que é bom assitir uma novelinha.

RESUMO DO FINAL

Depois que Laksmi conta a Opash que ele é filho de Shankar, as relações entre pai e filho vão mudar, e Opash se tornará menos intransigente quanto aos costumes tradicionais. A pequena Anusha, decidida a viver seu amor com Hari, vai ao juiz e pede a anulaçãode seu casamento: "Eu quero me divorciar porque não gostei do marido que arranjaram pra mim", ela diz. A família Ananda descobre que Raj está vivo. Ele acaba perdoando Maya e criando Niraj como seu filho. Surya é desmascarada e, ainda por cima, o filho que tanto deseja é uma menina, que ela terá de criar. Bahuan e Shivani se casam e ele viverá com dinheiro e poder, mas sob o domínio do pai da mulher. No núcleo do Brasil, Tônia desiste de estudar fora quando está indo para o aeroporto: salta do táxi e volta para casa. "Eu gosto do Tarso, com todas as limitações dele. Não quero mais fugir disso", ela diz para Murilo, ao telefone, e logo depois vai ao encontro do amado. O casamento acontece em uma igreja. Melissa, que no início não aprovava a nora, posa ao lado do filho, orgulhosa. Tônia entra com Murilo e faz todos os presentes se emocionarem. Após a cerimônia, os noivos comemoram com parentes e amigos com uma grande festa na gafieira. Lucas e Duda superam a dor da perda do filho e são felizes ao lado de Toni, de quem Raj não saberá que é o pai biológico. Zeca terá que prestar serviços à comunidade numa associação de crianças com AIDS. Yvone seduz o carcereiro e escapa da prisão. Silvia fica grávida de Murilo e Júlia volta a estudar para assumir a empresa no futuro.

Arquivo do blog